terça-feira, 3 de março de 2009

Vã preocupação

Senti um medo imenso de que tua ausência
se tornasse presente constante...

de início esperei,
a falta de notícia preenchia o desespero

o medo transformou-se em raiva
e até lembrei da reação de minha mãe:
passada uma semana da cirurgia
em que seu pneumologista, um tanto reticente
deu-lhe o diagnóstico de melanoma metastático
ela também teve medo e,

naquele dia uma explosão de fúria,
mais tarde nos confessou
era o medo das perdas...
perder a capacidade de sentir alguma alegria e motivação
perder o apetite e ainda sentir náuseas após comer

(das poucas coisas que ainda fazia com prazer até então)
de não se manter mais em pé, dignamente;
medo das dores, perda da vaidade...
perda da capacidade de falar e de se movimentar...
o câncer tomou seu corpo e sua mente
tomou nossa paz!
Fizemos o que era humanamente possível
Muitas orações, consultas, exames, medicamentos...
Por 70 dias se tornaram a sua rotina

E o medo da quimioterapia, da queda dos cabelos,
Nem houve tempo para tanto
E o medo da solidão e da ausência aumentou nela
e, em nós também...
Mesmo com todas as visitas
Pena! Embora não fosse intenção,
só reforçavam o amargor da inevitável despedida
com um aperto no peito, um nó na garganta
E com os olhos marejados
voltei a ti meus pensamentos, meu amor,
e ao nosso filho, ainda criança, que tanto de nós precisa
na sua infância tão ingênua
vã preocupação...
chegaste, enfim! Oh! Lembrei, de fato, tinhas avisado
em lugar do medo, senti uma gratidão reconfortante
em tê-lo por perto, ainda que efemeramente
e rogo a Deus que permita
envelhecer a todos nós na plenitude
que o sentimento de perda não nos persiga
nem a mim, nem a ti, nem a ele
não nos consuma, não nos mate em vida
porque descobri que,
mesmo para a morte, existe remédio...



Texto de
Fonte de imagens: Google

10 comentários:

tita coelho disse...

Muito legal teu blog Jô, voltarei mais vezes para te ler.
Beijos

Deni disse...

ótimo cantinho d pensaamentos moça
parabens pelo dom q tens d escrever bm..

bjOoOo

Cristiane Marino disse...

As imagens casaram bem com o texto e quando vemos as imagens nos desperta a curiosidade de ler o texto, e realmente a leitura não decepciona é muito profunda, forte, com sentimentos reais! Parece que conseguimos sentir a angústia do momento.
bjins

Cáh! disse...

amei teu espaço...
selinho pra vc no meu
beijokas

Lu disse...

Oi mana!
Amei essa leitura, apesar da tristeza e da saudade que ainda nos consome, conforta-me saber que existe um Deus... que Ele conforta-nos e livra-nos de quaisquer males.
Bjuss
Te Amo

disse...

Oi Tita! Olha só, estou me redimindo na questão de responder cada um dos comentários que já recebi (não que já não os tenha lido com grande prazer antes), mas, toda fruta verde uma hora amadurece (rs), estou me encontrando ainda no blog. Fico super feliz cada vez que percebo que você leu o que postei. Obrigada. Bjins e volte sempre mesmo!

disse...

Olá Deni! Tentei acessar seu blog, só que aparece "perfil indisponível". Obrigada pela visita e, de fato, acho que tenho um dom e agradeço a Deus por isso, se eu precisasse lidar com números provavelmente seria uma tragédia (rs), por isso repito: Deus dá a cada um algo de melhor que podemos ofertar, só precisamos desenvolver cada dia mais, não é? Bjins e até mais ver!

disse...

Cris, bem sei que esse tipo de texto é mais o seu estilo, suponho que deva ter se identificado e, não sendo apenas fictício, como no caso dos seus contos, acredito que quem o lê sinta algo próximo daquilo que senti e, por vezes, sinto. Apesar da tristeza, o fiz com esmero, assim como tudo que escrevo, procuro lapidar sempre. Bjins e até!

disse...

Cáh! Já estive lendo alguns dos seus textos, postei comentários,inclusive e, muito honrada me senti ao dar de cara com um selinho vindo de alguém que pouco me conheceu e já acreditou no que venho propondo fazer por aqui. Obrigada novamente pela confiança. Procuro fazer jus a ela, ok? Bjins e até!

disse...

Oi Mano!
Sabe que, apesar da tristeza, esse espaço está sendo um elixir para mim e, se o for igualmente pra você, venha sempre e participe dele também. Amo vocês todos, são minha família, embora a distância nos desconecte por dias e meses, ainda sei que estão aí para trocarmos palavras de conforto. Deus existe sim, pudemos senti-lo muito perto nas horas alegres e naquelas derradeiras junto de nossa mãe. Bjins para meus sobrinhos fofuxos e pra vocês!