sexta-feira, 13 de março de 2009

REFLEXÃO - Drauzio Varella

Novamente sexta-feira, novamente "oooooobaaa!". E, para dar um "up" no nosso final de semana (que já começou), proponho sempre uma leitura reflexiva e, com ela, espero melhorar gestos e pequenas atitudes diárias, assim, tão simples. Procurar pela "porta do lado" não significa fraqueza ou mesmo "idiotice" em ceder. Nossa convivência já é difícil por si só, por que complicá-la, por que turrar? Sou daquelas que dou um boi para não entrar na briga e uma boiada para não sair, mas, se puder prezar pela harmonia, tanto melhor! É um exercício que devemos aperfeiçoar sempre: tolerância. (repito: TOLERÂNCIA, não impulsividade!).
TENHAMOS UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA!

"A PORTA DO LADO" por Drauzio Varella

Em entrevista dada pelo médico Drauzio Varella, disse ele que a gente tem um nível de exigência absurdo em relação à vida, que queremos que absolutamente tudo dê certo, e que, às vezes, por aborrecimentos mínimos, somos capazes de passar um dia inteiro de cara amarrada.E aí ele deu um exemplo trivial, que acontece todo dia na vida da gente. É quando um vizinho estaciona o carro muito encostado ao seu na garagem (ou pode ser na vaga do estacionamento do shopping). Em vez de simplesmente entrar pela outra porta, sair com o carro e tratar da sua vida, você bufa, pragueja, esperneia e estraga o que resta do seu dia. Eu acho que esta história de dois carros alinhados, impedindo a abertura da porta do motorista, é um bom exemplo do que torna a vida de algumas pessoas melhor, e de outras, pior. Tem gente que tem a vida muito parecida com a de seus amigos, mas não entende por que eles parecem ser tão mais felizes. Será que nada dá errado para eles? Dá aos montes.Só que, para eles, entrar pela porta do lado, uma vez ou outra, não faz a menor diferença. O que não falta neste mundo é gente que se acha o último biscoito do pacote. Que "audácia" contrariá-los! São aqueles que nunca ouviram falar em saídas de emergência: fincam o pé, compram briga e não deixam barato.Alguém aí falou em complexo de perseguição? Justamente. O mundo versus eles.Eu entro muito pela outra porta, e às vezes saio por ela também. É incômodo, tem um freio de mão no meio do caminho, mas é um problema solúvel. E como esse, a maioria dos nossos problemões podem ser resolvidos assim, rapidinho. Basta um telefonema, um e-mail,um pedido de desculpas, um deixar barato.
Eu ando deixando de graça, para ser sincero.
Vinte e quatro horas têm sido pouco para tudo o que eu tenho que fazer, então não vou perder ainda mais tempo ficando mal-humorado.Se eu procurar, vou encontrar dezenas de situações irritantes e gente idem, pilhas de pessoas que vão atrasar meu dia. Então eu uso a "porta do lado" e vou tratar do que é importante de fato. Eis a chave do mistério, a fórmula da felicidade, o elixir do bom humor, a razão porque parece que tão pouca coisa na vida dos outros dá errado.
Fonte da imagem: Google

18 comentários:

Cristiane Marino disse...

Jô!
Um verdadeiro elixir esse texto, quantas verdades correm aqui nessas palavras. Quantas vezes nos deixamos abalar por causa de algo tão bobo que no outro dia nem lembramos o motivo de tanto mal humor!
Sempre tento me policiar para não agir por impulso e levar uma vida mais saudável como Drauzio Varella propõem.
Ótimo texto!
beijokas

€ster disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
€ster disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
€ster disse...

Oi JÔ,

Ei amiga, vc é muito boa com as palavras! Gostei dessa reflexão simples, mas profunda,
vai direto no ponto onde muitos de nós, é frágil,

engraçado, lembrei-me de muitas vezes que tive de 'sair pela porta ao lado',
mas esqueci-me das inúmeras vezes que fiquei impaciente no trânsito, tenho pouca ou nenhuma paciência com gente que não sabe dirigir e cometem pequenos delitos no trânsito.

Mas pensando bem, o impacientar-me só faz mal a mim mesma, as pessoas seguem faceiras suas vidas, e eu me corroendo pela faltas que elas cometem. Falando assim parece uma imbecilidade, mas é o que acontece, e estou tentando trabalhar isso em mim,

esse texto tem tudo a ver com as decisões que estou tomando para melhorar minha qualidade de vida,

beijinhos querida e ótimo final de semana!

Valdeir disse...

Jô, interessane!

Eu sempre comento sobre isso com meus amigos. Já temos os nossos problemas, não devemos criar outros. Não devemlos ficar aborrecidos o tempo todo porqu algo não deu certo. Devemos seguir em frente, pois há outras coisas boas e importantes para fazer.

Beijos.

Elaine dos Santos disse...

Tem um presente pra vc lá no blog! Passa lá...abraços e bom findi :)

Philip Rangel disse...

Interessante eu tinha lido e ja gostado....parabens memso

tita coelho disse...

Essa reflexão é ótima mesmo Jô! Na maioria das vezes as coisas pequenas nos atingem em cheio enquanto as grandes não fazem tanto efeito!
Beijos menina fom final de semana

Cáh! disse...

jô.. é a mais pura verdade
a vida é simples...a gente é que dificulta!

Cristiane Marino disse...

Olá JÔ!

Que comentário emocionante você deixou em meu blog, me arrancou suspiros! Não lembrava que hoje seria aniversário da sua mamãe! Por mais que eu escreva de saudade sei que na real não sei falar dela tão bem quanto você, e tenho que agradecer muito por isso, eu imagino a dor dessa saudade corroendo, chorando baixinho calando essa dor dentro do peito querendo explodir. Gostaria que essa saudade ruim e dolorosa não existisse, ela machuca demais. Cada um nessas horas encontra alguma força para se apoiar e com essa jóia que segue em frente né!
*Fiquei muito extasiada com seu comentário sobre minha escrita é muito bom ler isso de você que me acompanha desde os primeiros passos, rs e primeiros mesmoooo, desde os 14 anos foi uma das primeiras a ler minhas coisinhas rs! Eu fico muito contente que tenha notado e exposto pois ás vezes a gente mesmo não consegue notar e isso motiva demais!
Obrigada por tudo, que Deus a abençõe sempre!!
beijos Grandes

disse...

Cris, procuro sempre textos que, num primeiro momento saciem minha fome de sabedoria e tragam benefício pessoal, contudo, como somos muito parecidos nessa essência humana, acredito que, ao final, atinja sempre uma boa parte das pessoas que o lêem. Eu confesso que também preciso conter alguns rompantes nada saudáveis. Bjins e até!

disse...

Esther, sempre um prazer tê-la por aqui. Conheço alguém que se irrita fácil com quem não sabe dirigir e, dentre outras coisas, fica querendo consertar o mundo: meu marido(rs)e concordo, é preciso buscar uma melhor qualidade de vida, já que ela é tão curta...e cabe aqui citar:
(São Mateus 6,34)
Não vos preocupeis, pois, com o dia de amanhã: o dia de amanhã terá as suas preocupações próprias. A cada dia basta o seu cuidado.
Bjins e até!

disse...

Valdeir, sempre bom tocarmos em nossos pontos fracos a fim de evoluirmos, precisamos aproveitar melhor a vida, vivê-la com intensidade e deixar atrás de si apenas boas lembranças, sem rancores, remorsos, mágoas e tantos sentimentos ruins que nada elevam a alma. Bjins e até mais!

disse...

Elaine, fiquei feliz com o presente, aliás, estive agradecendo pessoalmente no seu blog, ok? Logo mais o postarei com o carinho devido. Muito obrigada, de coração. Bjins, volte sempre!

disse...

Philip, acredito que muitos dos textos que posto (e postarei) nas sextas-feiras não sejam totalmente desconhecidos dos blogueiros, uma vez que essa galerinha lê muuuuito... que bom ter gostado e espero que sempre tenha algo positivo para repassar e refletirmos juntos. Bjins e até!

disse...

Olá Tita! Tem razão: como podem coisas insignificantes receberem honrarias enquanto o principal fica de escanteio? Que bobagem a nossa! O pior é que fazemos isso mesmo e depois nos arrependemos, o quanto antes aprendermos a dosar os impulsos, melhor. Bjins e até mais!

disse...

Cáh, concordo contigo, a vida poderia ser mais simples, mais leve, menos triste, menos estressante...temos o mau hábito de ver defeito em tudo e em todos, como o velho ditado:"sentamos sobre o nosso rabo e olhamos os dos outros", precisamos olhar o mundo com olhos fraternos. Bjins e até!

disse...

Oi Cris! Escrevi porque avaliei com o coração e, principalmente, com base em tudo aquilo que trocamos de ideias, com o amadurecimento mútuo, eu de cá com o que aprendi no curso, aprendendo com você de lá, com o diamante bruto já se apresentando mais polido, mais delineado, surpreendendo a cada dia, sempre mais. Sobre o texto da mami, saiu assim, num momento de saudade, de lembranças, misturado à constante preocupação com que procuro escrever. Obrigada, sobrinhamiga! Bjins!