domingo, 2 de agosto de 2009

Inusitado para uns, comum para outros!



Querido,

nossos encontros começaram há 5 meses apenas e, como muitas histórias de amor, no início são repletas de novidades, aquela sensação de alegria e fascínio parece que não terminará nunca, lembra? Não me interprete mal, não estou a dizer que ficaste menos atraente.

Tantas cartas já escrevi para ti, nem todas tão românticas, algumas foram desabafos de meus problemas pessoais, do trabalho… outras pareceram brincadeiras mensais, escrevia algo inusitado para mexer com suas emoções e com seu raciocínio. Que bom parceiro és ao compartilhar meus escritos, pois, muitos não têm essa compreensão e essa paciência para ler-me, por isso digo sempre que és especial!

És de poucas palavras e eu de muitas, não consigo evitar, aliás, de maio para cá, por conta de uma rouquidão contínua descobri que estou com dois pequenos nódulos nas cordas vocais (vulgarmente chamados de “calos”) e necessitarei fonoterapia, já tive outras rouquidões derivadas de minha rinite alérgica, essa, apesar de perdurar, creio não ser nada grave ou preocupante, ao menos o otorrino disse que a fono resolverá o problema, além de falar somente o necessário no trabalho e tomar mais líquido. Você já deveria imaginar a julgar pelo tamanho das cartas que escrevo, não é? Ria dessa tagarela incorrigível! A culpa chega a ser tua porque tens me dado tantas oportunidades para escrever (e trocar ideias!). Só não faço mais devido à escassez de tempo.

Ultimamente tens ouvido pouco minha voz porque só temos nos encontrado às sextas-feiras. Em nossos encontros que começaram mais frequentes e agora semanalmente apenas, tenho sentido falta do que era, contudo, mudanças são necessárias, fazem parte da vida. Sextas-feiras estão enfadonhas, devo concordar, mas, se não fossem por elas, perderíamos o contato de vez, quem sabe consigamos mudar o dia da semana, desde que não deixemos de nos ver, o que acha? Talvez mais de uma dia apenas, seria ótimo, não? Eu adoraria! Não posso prometer isso ainda, só posso dizer que está difícil dividir esse amor com os outros que já tinha quando nos encontramos. Das obrigações diárias nem falo, são tediosas por demais.

Nunca escondi nada de ti, nem deles. Arrisquei uma espécie de “livro aberto”, salvo algumas devidas proporções, evidentemente. Houve ciúmes e alguns atritos nesse “triângulo amoroso” – meu marido e filho disputaram-me contigo, é bem verdade! Também deixaram-me à vontade muitas vezes porque sabem o quanto o amo e o quanto tens-me feito bem, chegando a ser (quase) meu terapeuta!

Sinto que extrapolo deveras em dados momentos, em outros torno-me mais comedida. Repito: a culpa é tua! Por que me deixa tão livre? Por que não tens um sinal de alerta que diga “Jô, basta!”? Sei que já mostraste: és assim e é isso que tanto me atraiu em ti, se existe erro, ele é apenas meu. Você tem feito sua parte com a qual se comprometeu desde o princípio, deu-me o básico e ficou a meu bel-prazer desde então, inclusive, deixou-me livre também para as novidades que eu pudesse descobrir aqui e ali. Foi o que fiz. Muitas delas me agradaram e só posso agradecer aos que me incentivaram apreciá-las.

Lembras de quem nos apresentou? Sim, a Cris. Essa menina faz parte de nossa história, ela foi nosso “cupido”, ela nos aproximou porque sabia o quanto nos entenderíamos, o quanto tínhamos em comum: as palavras. Por isso és especial para mim! Um amor que só quem vive ou viveu é capaz de compreender, não é?

Esta é mais uma das muitas cartas de amor que pretendo escrever-te, mostrando o quanto aprendo contigo e com os que apóiam esse romance.

Carinhosamente,

Imagem: Obra de Fernand Toussaint “The love letter

Esse é o primeiro post do recente projeto "Vou de Coletivo!" do Murilo Hildebrand de Abreu.

16 comentários:

A Menina e o Blog disse...

Eu também passo dos limites as vzs ... e também acho que a culpa dele! hahaha

Adorei sua carta!

Bjos

tita coelho disse...

Jô que bacana menina! Adorei essa carta para teu blog kkkk Ficou show de bola! Bem eu tb preciso agradecer ao teu blog por nos "apresentar" e eu poder desfrutar de teus textos inteligentes e marcantes!
Beijos menina, tá ótimo e bem bolado esse texto.

digitaqueeuteleio disse...

Jô, que gostoso ler este texto! Que bom que deixa claro que gosta de escrever muito (como eu rss), pois quanta gente conhecemos e quando vê um longo texto já diz o popular "dá pra resumir"? rss

Uma das formas que utilizei para me comunicar no blog, logo que comecei, foi conversando com o próprio blog, com o famoso "Querido diário..." rss Vez ou outra ele surge. E acaba sendo como um reflexo do que a gente vê e quer dividir com alguém que ainda não sabemos quem é, então, que seja o próprio blog, né? E no fim, dá certo.

E cada um acaba criando um meio de manter o seu blog: uns postando diariamente, outros em dias espassados, e quem nos acompanha já percebe isso e passa a se adequar às mudanças de cada um, também.

E foi através de uma blogagem coletiva que muitos de nós fomos nos encontrando, né?

Então, vamos continuar blogando...rss

Boa semana.
Um beijo.
Marcelo.

disse...

Olá Menina!
O bom (e o ruim) quando passamos dos limites com esse amor é que a nós cabe toda responsabilidade: se erramos ou acertamos, é conosco e o blog! Mas, se ele nada diz, mesmo que achemos a culpa nele, ficamos à mercê de nós mesmas...kkk! Parece conversa de doido, né? hehe! Faz parte também desse pequeno universo.
Bjins pra ti e até mais!

disse...

Oi Tita! Obrigada pelo carinho e eu também agradeço a oportunidade de lê-la, de descobri-la através dessa experiência blogueira. É muito bom compartilhar com pessoas que sempre têm mais a dizer e enriquecem a blogosfera como você e seu par. São por essas e outras que nos "enamoramos" uns pelos outros, pelo próprio blog, não?rs. Adorei, sinceramente, o elogio dos "textos inteligentes e marcantes!" - é muita areia para essa carriolazinha aqui...kkkk! Fico feliz que possa transmitir algo além daquilo que para mim mesma soa como "exagero e prolixidade" (e já viu a gente tentar fugir disso e não conseguir? O exercício da escrita até que ajuda, mas, tem coisas que não mudam, por mais que se tente...rs).Bjins querida! Até!

disse...

Olá Marcelo! Que alegria saber que gostou e curtiu essa "carta de amor", pois, foi com muito amor que as ideias surgiram e pularam do teclado para a tela...rs. Eu adoro ler seu blog e não me canso, por enormes que os textos "pareçam" ser, cada parágrafo tem um ótimo conteúdo: ora interessante, cômico, puxando as orelhas, alertando e muito mais! Confesso que muitas coisas em meu blog mudam e mudaram por ler o teu e ver o amor com que se dedica a ele. Quando nos dedicamos e gostamos de algo, isso salta aos olhos e ao coração.
Sobre ser resumido...hum! Isso não é conosco mesmo! Hehe! Eu bem tento: aparo aqui e ali, mas, parece faltar algo e lá vem mais parágrafo!kkkk!
Os amigos blogueiros vão surgindo aos poucos e nos identificamos com uns e outros, aí pronto! Já estamos atrelados a esse amor sem deixar de nos justificar, sem deixar de blogar, nem que seja uma vez por semana ou do jeito que der. Bjins pra ti e obrigada pelo carinho!

Compondo o olhar ... disse...

linda sua carta!
bela participação neste busão acelerado....rsrsrsrs!!!

tbm participo.

bjocas

Elaine dos Santos disse...

Jô, simplesmente fantástica...ri em alguns momentos, lembrei-me das cartas de Mariana do Alcoforado,identifiquei-me com algumas passagens...ora, parabéns pela sensibilidade, pela criatividade, pela beleza das palavras. Nota 100!
Obrigada pela presença carinhosa no meu blog, tens sido uma amiga e tanto nestes tempos de amizade virtual em que descobrimos pessoas queridas, parecidas conosco. Valeu :)

digitaqueeuteleio disse...

Nossa, que legal que o Abrazar la vida tem contribuido por aqui também. Legal saber.

Quando passar por lá, verás um selo para você, te esperando, tá? rss Já está lá, é só chegar...rss

Beijo.
Marcelo.

António Rosa, José disse...

Venho da blogagem colectiva promovida pelo Murilo para ler a sua participação.

Gostei muito do seu post Muito bem escrito, bem doseado, linguagem franca. Espero que seja tudo ficção. Muito bem lincado. Você é uma bloguista nata. Parabéns.

Aproveitei e deixei o meu urso na sua caixa de seguidores.

Abraço

Cáh! disse...

eu passo muiiiiiiito dos limites....mas essa carta pro teu blogger matou a pau
=)
amei

disse...

Olá Ivany!
Obrigada pelo carinho e por sempre compartilhar desses eventos. Esse projeto promete e acredito que ninguém deva comparar diretamente com a Tertúlia (que também foi maravilhosa!), a base de integração é a mesma, porém, o modo de fazê-la é outra um pouco diferente. Logo te visito, ok? Bjins e até mais!

Oi Elaine!
Sempre um prazer tê-la por aqui. Muito obrigada pela nota 100! Modéstia à parte, na época de estudante adorava atingir essa nota! Nem sempre dava, mas eu bem tentava!rs. Desculpa minha ignorância, não conheço as cartas da Mariana, todavia, fiquei bem curiosa em saber mais...rs. Sobre a amizade virtual: eu digo o mesmo, a gente aprende, troca coisas positivas e há quem diga que isso não é possível? O blog pode ser um belo parceiro, especialmente, em momentos que mais precisamos. Bjins querida!

Oi Marcelo!
Muito obrigada pelo selinho...adoro e quero postar em breve, estou devendo um post dos que já recebi de presente, aliás, acho que tem mais de um lá do Abrazar la vida! Que delícia!
Realmente você contribui muito para essa blogueira principiante ampliar horizontes. Bjins pra ti!

Olá Antonio Rosa!
Seja muito bem-vindo aqui. Agradeço de coração os elogios e ser "blogueira nata" foi o melhor (não sei se confere, mas, gostei muito!rs). Sobre ser ficção, não entendi ao certo, mas, se quis dizer sobre as histórias dos links durante o post, são verdadeiras sim, algumas tristes como a morte de minha mãe, outras do trabalho também são fato, e este aqui foi uma homenagem ao meu blog (ele é meu amor - não secreto!). Tento escrever coisas que vivencio de modo a não virar um simples diário, entende? Se posso enriquecer o texto, eu o faço, às vezes a inspiração e nem a transpiração ajudam, entretanto, gosto de escrever e procuro um fio para seguir adiante. Bjins e até mais!

Oi Cáh!
Como eu disse, só esse amor é que nos entende, ele aceita praticamente tudo!hehe! Não é à toa que muitos, diariamente, tornam-se amantes dele também. Obrigada pelo carinho. Bjins pra ti!

angela disse...

Este amor é compartilhado por todos que aqui estão, ele suporta muitos amores.
Criativo seu texto,muito legal.
abraços

Cristiane Marino disse...

Jô!

Sublime!!! esse seu texto vc bem sabe o quanto me cativou né, é a minha praia amo esses tipos de textos, vc foi criativa, original e mto inteligente. Ficou real e conto de fadas ao mesmo tempo para mim soou mto bem.
Parabéns por estar chegando a atingir a perfeição quanto mais se escreve mais idéias tem.
Eu sinto falta de me dedicar mais ao meu bloguinho, mas vc sabe o que tenho passado e isso é prioridade na minha vida no momento e tenho certeza que me renderá futuras lindas inspiações.
Lindo texto, Parabéns escreva sempre!!!
bjos

Paula disse...

Adorei ;)
Às vezes escrevo cartas q nem envio, só pra desabafar mesmo.
Sabe, algo que eu adoro nas blogagens coletivas é conhecer novos blogs interessantes, como o seu.
Bjos,
Paulinha

disse...

Olá Angela!
É bem verdade: um amor sem limites, o que muitos almejam e nós temos o privilégio de compartilhá-lo. Muito obrigada pelo carinho e sua primeira visita por aqui. Bjins e até mais!

Oi Cris!
Eu imaginei que você fosse gostar mesmo e fico feliz que tenha acertado.
Sobre "perfeição" (ninguém é perfeito!rs)eu procuro criar algo novo, apesar de nem sempre contar muito com a inspiração, digo que é mais transpiração, creio que há algum dom e agradeço a Deus ao lapidar essa pedra bruta que aqui se encontra.
Sei o quanto sente ter que ausentar-se assim do seu blog, mas, sabemos que é motivo de força maior, logo tudo encontrará seu lugar. Bjins e se cuida direitinho, ok?

Olá Paula!
Por um determinado tempo escrevi diário (na adolescência... básico!rs), nessa fase escrevi algumas vezes para mim mesma e funcionou como terapia também, porém, o blog tem voz e é mais interessante quando você sabe que foi ouvida, não? Daí esse romance ser provável de acabar num casamento...hehe! Foi bom declarar esse amor e, melhor ainda, descobrir o quanto podemos dividi-lo. Fico feliz que tenha encontrado meu blog e ele a tenha cativado de algum modo. Bjins e até mais!