quarta-feira, 15 de julho de 2009

Tertúlia Virtual - Tema Livre


Escolhe!

Nasci...
Cresci...
Tornei-me homem...
Doravante livre arbítrio:

Se lembro ou esqueço,
Se esfrio ou aqueço,
Se desvio ou endereço,
Se sorte ou insucesso,

Se fracasso ou venço,
Se falo ou penso,
Se mantenho ou apresso,
Se suficiente ou excesso,

Se ignoro ou enterneço,
Se fragilizo ou fortaleço,
Se libero ou impeço,
Se omito ou confesso,

Se inerte ou propenso,
Se calmo ou tenso,
Se desobstruo ou tropeço,
Se admito ou despeço,

Se correto ou avesso,
Se singelo ou adereço,
Se tranquilo ou possesso,
Se militante ou egresso,

Se calo ou expresso,
Se contínuo ou recesso,
Se prossigo ou recomeço...

Não importa!
E quem as decidirá senão eu mesmo?
Posso conferir a outrem tão árdua tarefa?
O tic-tac do relógio apressa!
Sem hesitar me convenço!
Por fim,
Se há prejuízo ou ganho,
Se saio intacto ou me arranho,
A escolha ainda é minha!


Fonte de imagens: Google

12 comentários:

Nely disse...

Escolha de caminho dificil, como quase tudo na vida.
Muito bonito o texto, a contradição da própria vida!
Beijo com perfume de Rosa (mesmo) caída e...Arrepio na pele.

entremares disse...

"A escolha ainda é minha"

Jô... eu sei que você sabe... só escrevo histórias, não tenho essa sensibilidade da rima, da musica que é preciso emprestar aos versos.
Mas gostei muito, mesmo muito daquilo que escreveu.

Por isso quero plagiar de novo, porque acredito nisso que escreveu.

"A escolha ainda é minha"

Beijos.

Adelino disse...

Jô, são muitas as contradições de nossa vida. Jamais saberemos se o caminho que tomamos seja realmente o ideal. Daí talvez a graça que ela tem, não é?
Um abraço.

Luma disse...

As escolhas nem sempre são as acertadas, mas sempre aprendizado e ao final, devemos nos orgulhar de qualquer escolha feita por nós. Beijus

Olavo disse...

Lindo texto..
eu acabo sempre fazendo escolhas erradas..
Bjs

tita coelho disse...

Se todos vissem as escolhas com responsabilidades, creio que as pessoas seriam mais felizes! Eu adorei essa poesia.
Beijos menina

Eduardo P.L disse...

Jô,

lindo o poema! Bonita postagem! Obrigado por ter participado desta última TV.

Bjs

Gostei de seu blog. Voltarei!

disse...

Olá Nely! Algumas das vezes uma escolha pode parecer mais difícil do que outras, creio que dependa muito do estado emocional, físico e espiritual pelo qual passamos naquele momento, daí a (nossa)contradição. Obrigada pelas palavras com cheirinho de rosa...rs. Bjins e até!

Entremares! Nem eu sei o que você pensa que eu saiba demais...hehe!(brincadeira!)
Essa sensibilidade está em ti também,talvez de modo diferente, mas, creio que para escrever textos como o que escreveu nesta última Tertúlia, houve um toque de criatividade, experiências vividas e o bom relacionamento com a língua materna que a impulsionam a compor, não acha? Eu escrevo um pouco assim. Aprendo muito lendo e a faculdade de Letras deu-me certo suporte para (ar)riscar poesia! Não ouso me intitular uma poetisa porque não o sou, não mergulho nas métricas e tudo mais, contudo, brinco com as palavras e se existe chance de dividir a brincadeira com os outros (que queiram),creio que é válida essa troca. A blogosfera e a Tertúlia, em particular, propiciam isso. Continuemos nossas escolhas! Bjins e até mais!

Oi Adelino! Concordo com você, embora as contradições sejam muitas, a graça da vida talvez seja essa das "decisões e escolhas" que devamos tomar sempre, das indecisões e dúvidas. Eu bem comecei o tema "livre" num texto que parou pelo caminho, logo veio a luz da poesia...rs. Decidi pela poesia, era a hora dela mesma! O tal "tema livre" é tão solto que acaba por nos deixar "presos". Eis uma bela contradição, não é? Mas o exercício foi ótimo para chegarmos aqui nessa reflexão. Bjins e até!

Oi Luma! É verdade, o que escolhemos agora pode ser que amanhã já não nos preencha a necessidade inicial, por isso concordo contigo, devemos nos orgulhar das escolhas (das escolhas pensadas, não as tomadas sem ponderação, sem argumentos, sem prós nem contras, etc.,etc.). Penso que o arrependimento, geralmente, advém de escolhas nem sempre planejadas, mal pensadas, feitas aleatoriamente como se fossem um jogo de sorte apenas. Na vida há coisas que pesam muito a depender das decisões tomadas, é preciso queimar uns bons neurônios nesses casos, não acha?
Bjins pra ti e até!

Oi Olavo!
Obrigada pelo elogio e a visita, se não me engano é a tua primeira por aqui, não? Noto que em seu breve comentário não está feliz com as decisões que costuma tomar, todos já fizemos isso aqui ou acolá, não acredito que "sempre" as faça erradamente, às vezes, o descontentamento com algo muito pessoal e importante que nos aflija pode dar uma "aparência" de que tudo está fora do lugar, entende? Veja se tem parado para refletir com calma e sabedoria ou se faz tudo impensadamente, intempestuosamente. Há sempre boas escolhas a se fazer, por maiores que as dificuldades sejam ou aparentem, ok? Bjins e até!

Olá Tita!
O que escreveu é muito bom, foi um pouco disso que comentei anteriormente com a Luma e com o Olavo. Existem escolhas a se fazer e há que se pensar com carinho em cada uma delas, creio que tudo feito sem o devido cuidado gera essa insegurança e até mesmo escolhas ruins vida afora. Veja na política, já que é um de seus assuntos preferidos...aff! Quanta escolha errada feita por conta de tantos motivos(ou falta deles), banalmente, sem compromisso, parece até um uni-duni-tê e dá no que dá sempre: sofremos as consequências. Fico muito feliz que tenha gostado da poesia.Bjins pra você e até mais!

Olá Eduardo! Agradeço as gentis palavras e fique à vontade para apreciar meu singelo blog. Pena ser a última TV, mas, as poucas das quais participei de abril até aqui já valeram muito o aprendizado. Foi uma excelente experiência para mim e acredito ter sido para os demais. Já sinto saudades desse projeto de sucesso na blogosfera. Bjins e até mais!

Eduardo Santos disse...

Olá Jô. Excelente poesia a fechar um ano de tertúlias, é o que chamo de "um términus com fecho e circunstância". Agradadou-me o seu estilo e espero ter o grato prazer de voltar para me deliciar com seus textos. Tudo de bom para si e até breve, se Deus o permitir.

disse...

Oi Eduardo Santos! Fico feliz que o agrade tanto a poesia desta última Tertúlia quanto o estilo com que escrevo e,de fato, procurei algo que marcasse o fechamento, pensei bastante, rascunhei aqui e ali...até que as ideias clarearam e culminaram nessa "escolha".Apareça sim, se for possível e de sua vontade. Bjins pra ti e até!

Cristiane Marino disse...

Lindíssimo seu texto, gosto desses jogos de palavras que é só para quem pode, eu não consigo fazer rs...adorei essa contradição, e são nossas escolhas né, nossas fragilidades...

Parabéns

disse...

Olá Cris!
Também curto muito "brincar e jogar com as palavras", é um mundo de possibilidades (ainda que eu não me enquadre muito bem na forma do poema - arrisco e saio feliz dessas tentativas!), foi mesmo uma boa experiência essa do fechamento da TV, um desafio que,ao meu ver, consegui superar a contento. Fico feliz que tenha gostado. Bjins pra ti! Boas escolhas para nós!