sexta-feira, 5 de junho de 2009

REFLEXÃO - Aprenda com as crianças

Vamos apreciar a natureza mais de perto?
Tudo bem se não mora próximo de áreas florestais ou parques verdejantes, que não haja muito verde em seu quintal, talvez more em apartamento, tenha menos ainda da natureza ao seu redor (ou não - tem gente que consegue fazer mágica em pequenos espaços, sabia?). Há pessoas que curtem animais de estimação e apreciam o convívio com eles e tem outras que amam as crianças. Não importa se plantas, animais, crianças e tudo que proveio de UM SER DIVINO, é preciso estar, de algum modo, em contato com ELE através da sua SÁBIA NATUREZA.
Não se viverá feliz por completo se não houver a contemplação da mesma!
Vagueando meus pensamentos por esse caminho encontrei outro maravilhoso texto do site Momento direcionado para uma aprendizagem riquíssima com as crianças. Muita gente esquece de que um dia foi, sufocando a ingenuidade e a alegria, tornando-se um adulto sisudo e cinzento. E, se de fato tornou-se, se está a ponto de tornar-se, há tempo para refletir e deixar aquela criança sair e gargalhar de coisa pouca! Esforcemo-nos por aprender mais com elas, afinal, Jesus já dizia: Deixai vir a mim estas criancinhas e não as impeçais, porque o Reino dos céus é para aqueles que se lhes assemelham. (São Mateus 19,14)

APRENDA COM AS CRIANÇAS

Os adultos desejam ensinar tudo às crianças. Quando elas iniciam a balbuciar, não se cansam de repetir as palavras, a fim de que elas aprendam a falar de forma correta.
Nós lhes ensinamos o alfabeto, os números, as cores. Mergulhamos com elas nos livros, auxiliando-as a descobrir as maravilhas do macro e do microcosmo.
Somos os mais experientes porque já vivemos alguns anos a mais do que elas.
Contudo, existem lições de sabedoria que essas criaturinhas nos ensinam, todos os dias.
Quando uma criança se machuca, não importa se é um pequeno ou grande machucado, ela logo chora e procura o colo da mãe. Chorando, ela informa que está doendo, que aquilo a está incomodando muito.
Buscando o colo da mãe, ela deseja ser acarinhada, confortada, auxiliada.
Lição para o adulto (realce meu): você não precisa suportar a dor sem chorar. E procure alguém em quem você confia para ajudá-lo.
Pode ser um amor precioso, ou um amigo, um irmão. Enfim, alguém que lhe dê a mão.
Quando uma criança cai de um brinquedo e quebra o braço, nem por isso deixa de, ainda com o braço engessado, subir no mesmo brinquedo.
Deseja provar que é capaz, que consegue, que vai vencer.
Ensina, desta forma, que não se deve desistir porque o negócio não deu certo ou porque foi reprovado em teste de seleção em uma empresa.
O importante é não se deixar abater e continuar a tentar, até conseguir.
Quando uma criança está com sono, ela se aconchega, fecha os olhinhos e dorme.
Se o coelhinho perdeu uma orelha ou o carrinho quebrou, assim mesmo ela dorme. E no sono, se permite sonhar.
Sonha com lugares lindos, bolas coloridas, muitos brinquedos, sorvete, brincadeiras e amigos.
Nova lição para o adulto (realce meu): se seu corpo assinala que está na hora de dormir, atenda-o. Recolha-se ao leito e descanse. Depois, você recomeçará as tarefas, e muito melhor.
Não se permita a insônia por causa de coisas materiais. Se os índices da bolsa oscilaram, ou se sua conta não apresenta tantos dígitos, durma mesmo assim.
Seu corpo precisa recuperar as energias pelo repouso. Depois, você retornará às lutas, ao trabalho, às melhores decisões.
Quando uma criança brinca, ela se permite entrar em seu mundo de faz-de-conta e mergulha por inteiro.
Ela fantasia, fala com seus bichinhos e bonecos, cria histórias, sonha de olhos abertos.
Ela é o homem que voa, o dono de uma grande fazenda cheia de animais, o astronauta a caminho do infinito. Não há limites para a sua imaginação. E isso a satisfaz, a faz feliz.

Com isso, diz ao homem que ele nunca deve deixar de sonhar e de perseguir os seus sonhos. Que deve se concentrar em seus desejos e perseverar.
Tudo é possível àquele que trabalha, prossegue, não desiste.
A criança é alguém que nos diz, todos os dias, que é bom viver, que o mundo é belo e que não há limites para a mente humana.
Ela nos afirma, com seu jeito de ser, que podemos sonhar, sem perder a esperança;
Que podemos sofrer reveses, sem cair no desânimo;
Que podemos preservar a saúde, mesmo que adversidades nos envolvam.
Enfim, ela nos ensina que a esperança deve brilhar sempre em nossos olhos.
Isto porque depois deste dia, o sol despertará o amanhã e tudo terá o brilho do novo, do não conquistado, da alegria ainda não fruída.
UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA PARA VOCÊ E UM MUNDO MELHOR PARA TODOS NÓS! BUSQUEMOS A RESPOSTA NA SIMPLICIDADE DOS PEQUENOS, POIS, ADULTO TEM MESMO MANIA DE COMPLICAR!
Fonte do texto: Site Momento
Fonte das imagens: Google

4 comentários:

Cristiane Marino disse...

Olá Jô!

Nossa lendo seu post deu uma vontade danada de ter uma criança em casa, acho que elas tem muito a me ensinar, acredito que no começo não será nada fácil, sou muito preocupada, agitada e ansiosa. Mas, creio que com o tempo as coisas vão se ajeitando a cada dia tento uma coisa que considero essencial mas, tão difícil que é VIVER! quantas vezes já me perguntei "que estou fazendo aqui?" querendo fazer algo grandioso sabe! aproveitar bem essa minha passagem aqui, pq muitas vezes perco tanto tempo com coisas tão minusculas e bobas que depois que passa fico a pensar quão pequena fui.
Belíssima reflexão!
beijosss

disse...

Cris, que bom você aparecendo por aqui (não que isso seja novidade, é das minhas top comentaristas, sabe, né?rs). Fico feliz que o texto toque as pessoas assim como a tocou, deixando-a, inclusive, com "uma vontade danada de ter uma criança em casa", e digo mais, é uma bênção ter um filho, precisa e terá mais essa, Deus quererá dar a vocês uma criança linda sim, eu creio! E, de fato, eu também me vejo "perdendo tempo" com bobagens, me questionando e por isso acho importante esse momento de reflexão, não só isso, mas de atitude, é preciso dar o primeiro passo (ainda que ele pareça pouco, pequeno...) e avançar, sempre! Bjins pra ti e até!

tita coelho disse...

Jô,
como de costume amei teu texto! Bem... As crianças não tem aquela "maldade" no olhar... Na verdade são fruto de suas vivências, chegam "cruas" no mundo para ensinar... Não tem preconceitos, tratam todos iguais e com amor.
Beijos

disse...

Oi Tita! Prazer em tê-la por aqui (SEMPRE!) e fazendo a alegria da blogueira aqui: comentando(rs). Realmente as crianças são anjos, sem maldades, sem preconceitos (antes de serem "contaminadas" por nossas práticas e teorias, claro!) e é isso que as diferencia tanto dos adultos (não são nossas miniaturas, se bem que, por vezes, as queremos tornar, né?), são seres ingênuos ("cruas" como bem dizes)e, infelizmente, essa ingenuidade perde-se em algum momento dando lugar à "maturidade" ou algo semelhante, que seja.O fato é que não deveríamos nos perder/distanciar dessa pureza, crescer sim, sem contudo, subverter a infância do modo como fazemos, acho até absurdo adultos que se dizem "contra" crianças ou que "não gostam" delas. Pode? Por quê? Acaso não serão eles os prováveis pais/educadores dos pequenos? Obrigada e bjins pra ti!