sexta-feira, 15 de maio de 2009

Tertúlia Virtual - 10 anos numa ilha

Fuga da realidade ou desvio para a vida?

Querido diário, querida caneta... (serão queridos, não mais que as pessoas que amo, contudo, registrarão parte desse “episódio surreal”, devo admitir! – desta nova vida que escolhi e elas aceitaram comigo viver, apesar de muita relutância no começo. Pudera! Nada muito convencional sugerir tal coisa nos dias de hoje, concordam?).
Meu filho deixar o vídeo game e o computador, seus brinquedos e esquecer das poucas amizades que fizera? Mas, pensa que ele chorou ter que deixar a rotina escolar por esse tempo? Quer aprender com as aventuras junto de nós, disse-me: “agora vamos viver de verdade!”. A partir de agora seremos também seus professores, sei que um dia ele não pensará mais desse jeito, pois, quando se é criança a vida é novidade sem fim, ater-se às regras sociais e aprender sobre povos e culturas parece bobagem no início. Vantajoso no sentido de que haverá tempo de sobra para ensiná-lo e brincar sempre que ele quiser, afinal, na civilização moderna não havia tempo para nada disso, somente para o trabalho remunerado e para o trabalho doméstico. Aqui não teremos o primeiro deles e quanto ao segundo, bem, esse ainda existirá, mas com novos ares (novos mesmo! Ainda bem que a poluição das cidades não atinge área tão arborizada!).
Com os dias, meses e anos relatarei as mudanças dessa escolha radical. Sei que, por ora, é uma sensação de liberdade, tal qual criança que aprende a andar e sai em disparada, sem saber aonde chegar, contudo, o sorriso no rosto mostra que o esforço pode valer a pena.
Cá estamos: meu marido, meu filho e eu. Uma aventura que jamais ousaria imaginar, tanto menos, chegar a esse destino. Logo eu que sou avessa ao sol e à praia? Porém, adoro a flora, e, nessa remota ilha há muito dela por aqui, já vislumbrei várias espécies de árvores e plantas nativas, uma nascente que deságua em pequena cascata ali adiante! Lindo cenário!Ah! Que falta fará minha câmera digital, contudo, deixarei incógnitas nestas breves palavras,e quem quiser, que o imagine ao seu bel prazer.
Feche os olhos e esteja aqui e agora... não há fotografia que consiga revelar cada detalhe dessa sensação, portanto, inútil seria tê-la trazido!
Espero não ter que lidar com a fauna de modo direto, com essa não me relaciono de modo algum, quiçá observar alguma espécie de pássaro, bem no alto de uma árvore ou algum peixe colorido nas límpidas águas que banham esse lugar!
O quinto e último objeto deixei por livre escolha de meu marido, afinal, abriu mão de uma vida “estável” para desbravar um mundo novo comigo. Sabe o que foi? Sua caixa de ferramentas. Bem coisa de homem mesmo, não se desgruda dela, tantos apetrechos ali que nem sei para que servem, contudo, acredito que neste lugar, mais do que em qualquer outro, terá sua serventia, sem dúvidas.
Foi tão difícil decidir por estas coisas (caneta, diário e caixa de ferramentas), entretanto, nada difícil escolher as pessoas, sobre estas nem pestanejei!
Ao final deste primeiro dia, sentei-me entre meus dois amores e vimos, pela primeira vez, o pôr-do-sol, assim, sem pressa nenhuma, sem horários a cumprir. Ficamos ali juntos, apenas observando o espetáculo da natureza, o sol beijando as águas do oceano pacífico e foi algo extraordinariamente fantástico!
Pensei comigo e não poderia deixar de relatar (daí a extrema necessidade de papel e caneta à mão): por que, apesar da evolução da humanidade, ainda perdemos coisas dessa magnitude? Por que é tão complicado estarmos mais tempo com nossos entes? Por que as obrigações do dia a dia nos “sugam” as forças e nos mantêm seus escravos? Fizemos bem em “fugir” delas ou as encontraremos por aqui também? Só o tempo dirá... E, acredito, não serão necessários 10 anos para descobrir tal coisa, em muito pouco tempo saberemos o quão eficaz foi tal decisão, mas, até que descubramos isso, de fato, apreciarei a vida na sua simplicidade ao lado de quem amo, sem fazer grandes planos, sem intentar grandes projetos, sem preocupar-me com “o que pensarão de mim?”, sem expectativas para o amanhã, somente apreciando o hoje, assim, embasbacada, pura e simplesmente.
Este texto faz parte da Tertúlia Virtual e, embora a solicitação fosse para "nomear as 5 coisas" a fim de viver 10 anos numa ilha, aproveitei o ensejo e, como de costume toda sexta-feira, desenvolvi a reflexão.
Excelente final de semana para você e para quem você ama!
Procuremos levar o essencial, mesmo que pareça difícil encontrá-lo!
Fonte da imagem: Google

24 comentários:

A Lobba! disse...

Boa lista!
Prazer em estar aqui!
Lobba de France!

tita coelho disse...

Jô que super bacana teu post guria! Fez uma participação muito original na tertúlia. Adorei a narrativa, e a forma que tu escreveu... Uma bela lista viu? Ficou muito original!
Eu não participei da tertúlia mas vi alguns posts sobre ela hoje!
Beijos menina

Nely disse...

Oi amiga.
Que introspectiva, nem a ideia de uma aventura na ilha te moveu?
Sabe ia ser bom, nem fuga ra realidade nem desvio, aventura saudável e virtual apenas...
Mas gostei de sua reflexão embora ache que está precisando de uma dose de loucura.
Beijo amiga.
Nely.

Andrea Vaz disse...

Adorei sua postagem!

Uma boa reflexão!

Bem parecida com a minha!

Aguardo sua visita!

Tenha um bom fds!

Susana disse...

Interessante narrativa e reflexão sobre a possibilidade de um retiro desses!

Eu também participei na Tertúlia.
Abraço, Susana

Compondo o olhar ... disse...

menina.... que reflexão linda a este respeito!!! sua narrativa nos leva a realmente imaginar estas cenas. fiquei maravilhada..... parabéns!!
bela participação desta tertulia.
tbm estou participando, dá uma olhadinha lá.

bjocas

Conceição Duarte disse...

Valeu por sua reflexão e por nós tb refletirmos tudo que vez por outra pode nos ser apresentado. Foi bem legal, um beijo, CON

Jo. disse...

Perfeito!!!
Uma das melhores participações...
Bjim.

Andreia disse...

Que bela postagem, muito original!
Adorei, bjsss

disse...

Olá Lobba! Obrigada. Saí um pouco da regra (em forma de texto), mas ainda assim foi muito bom participar da Tertúlia desse mês. Bjins e até!

disse...

Oi Tita! Fiquei até emocionada com seu comentário: original? Ah! Obrigadíssima! Sei que você diz o que pensa e não diria isso à toa, por isso a emoção de ler o que escreve sempre. Se eu puder criar mais textos cada vez melhores todos sairemos no lucro, não é? Valeu pelo incentivo mais uma vez. Bjins pra ti e até!

disse...

Oi Nely! Não fui tão introspectiva assim não...rs, será? Toda sexta-feira busco textos ou os escrevo para refletir algo que possa ser melhorado em nós, só isso. A brincadeira da Tertúlia foi bancada (escolhi os 5 e fui para a ilha), entretanto, fiz dessa escolha um modo de "pensar a vida", sempre lido com isso de modo a aprender e evoluir, mesmo dentro da "brincadeira virtual" é possível, concorda? Obrigada pela visita, bjins e até!

disse...

Olá Andrea Vaz! A visitarei em breve sim e verei sua postagem também. Obrigada e até!

disse...

Olá Susana! Não foi bacana imaginar-se numa ilha e o que se poderia fazer e pensar de novo por lá? Pois é...
Bjins, obrigada e até mais ver!

disse...

Oi Ivany! Passarei por lá sim. A ideia de criar imagens e sensações é muito envolvente, eu gosto desse exercício porque cada pessoa concebe ao seu modo e ninguém fica preso ao pensamento do outro, é particular e intransferível. Obrigada por me prestigiar novamente, viu? Bjins e até!

disse...

Oi Conceição! Por nada, fiz com carinho esse texto para a Tertúlia e para os amigos e visitantes da blogosfera. Agradeço a você pela visita novamente. Bjins e até!

disse...

Oi xará!rs...Jo. obrigada pelo carinho e pela visita. Muito contente fico com sua observação quanto a minha participação nesta Tertúlia. Bjins e até mais!

disse...

Olá Andreia! Muito obrigada pelos elogios. Espero que possa voltar e ler outras boas coisas que pretendo escrever (e compartilhar, claro!).Bjins e até!

Conceição Duarte disse...

Jo, valeu pelo passeio por lá! Obrigada, e hipoglós é como bom bril, tem 10012 utilidades, darling! Beijos, CON

Valdeir Almeida disse...

Jô,

Muito obrigado por ter postado no meu texto de despedida.

Pois é. Pararei de blogar, mas sempre que possível continuarei visitando quem acompanho.

Abraços e sucesso;

disse...

Oi Conceição! Por nada. Valeu pela dica da pomada, já usei muito no bumbum do meu baby, mas, outras utilidades soube agora contigo...rs.Bjins e até!

disse...

Oi Valdeir! Foi sempre prazeroso comentar seus posts: educativos, interessantes, divertidos, conscientes - PONDERANTES, no melhor sentido que a palavra tem, de fato. Obrigada por aparecer muitas vezes aqui com comentários bacanas, fico feliz demais! Bjins e sucesso pra ti também! Até!

Eduardo Santos disse...

Olá amiga. Creia que fiquei "suspenso" a ler o seu texto, quanta imaginação a aproveitar já a vida na ilha deserta. Pela positiva, excelente ideia. Os nossos amigos da Tertúlia possibilitaram-nos dar rédeas à imaginação e foi bom ver as opções de cada um. Tudo de bom para toda a a família e já agora, façam uma boa viagem de regresso...

disse...

Olá Eduardo! A viagem foi ótima e regressamos sãos e salvos, ela só foi possível porque a Tertúlia lançou o desafio e, passeando por outros blogs participantes também notei os rumos que muitos tomaram imaginação afora e o que levaram consigo! Muito agradecida pela visita e pelo carinho.Bjins e até!