sábado, 3 de abril de 2010

Aleluia!

Você já esteve numa dessas apresentações teatrais na época da Páscoa? Se sim, diga se aquele final grandioso em que Cristo aparece ressuscitado após sua crucificação e morte não é digno desse título do post?

Quando criança, por vários anos, meus pais e meus irmãos tínhamos o costume de ir a uma típica e apreciada encenação da nossa cidade, uma multidão enchia aquele campo e o enche ainda hoje, momento de assistir tão belo espetáculo e mais, de nos entregarmos em cada cena, de caminharmos junto dos atores e nos sentirmos parte daquele contexto. Enquanto cristãos, todo esse trabalho não é só espetáculo cultural, é a oportunidade de revivermos os passos de Jesus em seus últimos momentos antes que se concretizasse o que estava escrito (Lc 24, 44-46) e abrirmos olhos e corações para o que há de novo.

Para mim é e sempre será uma das mais fortes lembranças da Páscoa em família. Mesmo após muitos anos temos ido (marido, filho e eu; algumas vezes, meus irmãos e sobrinhos também) a outras apresentações e sempre choro ao final delas, como fazia quando criança. Claro que de lá pra cá ampliei conceitos, porém, os sentimentos permaneceram intactos, sentimentos de que a vida vencerá a morte ao final, não importa quanto sofrimento seja imputado a alguém, desde que tenhamos a firme confiança no Cordeiro de Deus (Jo 1, 29).

Uma feliz e abençoada Páscoa para você!

4 comentários:

digitaqueeuteleio disse...

Jô, esta é mais uma data que nos traz lembranças.
Um ótimo domingo de Páscoa para ti.

Bj
Marcelo.

disse...

Oi Marcelo!
Com certeza traz muitas e boas lembranças e me alegro com isso.
Também é uma data importantíssima do calendário cristão e creio ser a que suscita o melhor que podemos dar de nós, ou, pelo menos, deveríamos dar.
Bjins e ótima Páscoa para você e sua família!

Valdeir Almeida disse...

Jô,

Antes de mais nada Feliz Páscoa para você, ainda que atrasado.

A Páscoa nos remete a uma espécie de filme onde a trama toda é repleta de sofrimento, mas o final é feliz. Jesus sofreu, mas ressuscitou. E Páscoa é isso: ressurreição. Ressureição de sonhos, objetos...

Beijos, Jô e uma ótima quarta-feira pra você.

disse...

Oi Valdeir!
Você abrilhantou o espaço com teu comentário e a essência do post ficou mais evidente. Embora eu o tenha escrito de modo mais conciso, a ideia central foi bem esta: ressuscitar as boas coisas, não só as lembranças, mas, os sentimentos que nos impulsionam a ultrapassar obstáculos dos mais diversos.
Obrigada e aceito de bom grado, não importa o atraso, ok? Bjins e até!